Como alguns de vocês ficaram sabendo, na semana passada eu fui submetido a uma pequena intervenção cirúrgica para remover um abcesso no polegar da mão direita. Depois de ver um monte de pus e sangue sair do meu dedo, a inflamação passou, e hoje eu sou um homem bem melhor e sem dor.

Nos últimos sete dias, eu passei por uma recuperação que exigiu alguns cuidados. Troca de curativos, dedo para cima a maior parte do tempo para o sangue não descer, e medicamentos dos mais diversos. O principal deles foi um antibiótico, para ajudar o organismo a combater a infecção. Foi algo bem eficiente, admito. Mas mexeu com meu corpo de forma considerável.

É a primeira vez que tomo antibióticos por tanto tempo em minha vida. Sete dias consecutivos, três vezes por dia. Um comprimido a cada oito horas.

O primeiro efeito colateral que tive foi o cansaço, que não veio de imediato, mas ia me minando aos poucos. É claro que meu organismo estava meio debilitado, combatendo a infecção. Mesmo assim, era algo estranho para se lidar quando estou acostumado a manter o ritmo de trabalho na maior parte do tempo.

Mas a parte mais estranha foi algo que sempre ouvi das pessoas que tiveram que tomar antibióticos por algum tempo, em algum momento da vida: o inchaço no estômago.

Não foi algo que pesou muito ao longo desses dias, mas era algo perceptível. Pelo fato de adotar uma alimentação um pouco mais regrada por conta da diabetes, a minha barriga estava ‘desaparecendo’ (sei que nunca vou perder o estômago alto por conta da própria enfermidade, a não ser que eu entre em uma rotina de exercícios localizados).

Três dias depois que comecei a tomar os antibióticos, minha barriga simplesmente voltou… pelo inchaço. É um pouco desconfortável passar por isso, mas eu estava disposto a tudo a cumprir a risca o que me pediram para recolocar o meu organismo em dia.

Hoje, estou recuperado. A infecção foi embora, não sinto as dores do corte para a eliminação do abcesso. Apenas uma leve sensibilidade do local onde a carne do dedo foi exposta. Mas um curativo simples já resolve tudo.

Mas não pretendo ver antibióticos tão cedo na vida. E, para quem vai precisar passar pela mesma experiência que eu, um conselho: prepare-se, pois seu corpo vai sentir um pouco.

E paciência. Muita paciência.