Compartilhe

Viver na era da mobilidade tem os seus aspectos positivos e negativos. Se por um lado é ótimo estar conectado o tempo todo, obtendo informações em (quase) tempo real e muito mais próximo de qualquer pessoa a qualquer momento, por outro lado podemos ficar muito dependentes dessa necessidade de permanecer online.

Na verdade, a maioria das pessoas criaram o FOMO em função do mundo conectado. Tem gente que tem medo de ficar por fora das últimas notícias ou tendências do coletivo. E esse medo resulta em atitudes simplesmente estúpidas, que colocam em perigo a sua vida e a de outras pessoas ao seu redor.

Sendo mais específico e direto: o que leva um indivíduo a ficar mexendo no smartphone o tempo todo enquanto dirige o seu automóvel?

Eu não tenho carro. Eu tenho bicicleta. Mas eu sempre entendi que era a minha obrigação no trânsito conduzir o meu veículo para mim e para outras pessoas também. Eu não posso ser irresponsável, displicente e egoísta a ponto de agir de forma irracional, apenas porque é mais importante responder a aquele e-mail urgente (que pode muito bem esperar cinco minutos, sem maiores problemas.

 

 

Nada é mais importante que a sua vida (e a vida de outra pessoa)

 

O uso dos smartphones durante a condução de veículos é, hoje, um dos grandes males da vida moderna. O nível de envolvimento que as pessoas possuem hoje com o celular é algo que passou dos limites, e o comportamento dessas pessoas no trânsito é um dos seus efeitos colaterais mais perversos ou nefastos.

E, para ser bem justo, isso não afeta apenas aqueles que dirigem automóveis. Eu já vi aqui em Florianópolis pessoas de bicicleta mandando mensagens de texto ou voz no WhatsApp, andando na contramão e sem sequer ter uma das mãos no guidão. Sinceramente? Pessoas que agem assim deveriam ser proibidas de sair de casa com um dispositivo móvel ou com a bicicleta. A pessoa teria que escolher um dos dois.

E os pedestres também entram nessa equação. Não são poucos que atravessam a rua à esmo, sem usar a faixa, mas utilizando o smartphone para responder a mensagem de alguém, sem prestar a menor atenção para o que acontece ao seu redor.

Por isso, eu peço um apelo para a comunidade: atenção dobrada quando estiver no trânsito. A prioridade é a sua vida e a vida daqueles que cercam você. O smartphone pode simplesmente esperar uns 10 minutos.

Não existe e-mail urgente. O que é urgente é a necessidade de você criar consciência e fazer a coisa certa no trânsito.


Compartilhe