Eu escrevi o post no TargetHD
, e a cada parágrafo, não acreditava muito naquilo que eu estava lendo. Era surreal demais. Não que eu não achasse que isso fosse possível. Só não achava que isso fosse feito com a cara tão lavada assim. Bom, o “IPHONE da Gradiente” foi notícia em tudo quanto é lugar. E era exatamente isso que a Gradiente queria.

Para esclarecer alguns pontos. A Gradiente não está lançando um smartphone com o nome IPHONE (e tenho que escrever assim ou “Iphone”, pois são essas duas grafias que eles usam), mas sim, uma linha de celulares e smartphones “de última geração” (com Android 2.3? Anham… sei…) que é denominada como “Família IPHONE”. O primeiro modelo dessa nova linha de produtos é esse que você vê na foto acima, o Neo One. Ou melhor, “G Gradiente Iphone Neo One”. Vamos fazer as coisas direito.

Você acha que é pegadinha quando começa a ler na internet sobre a notícia em outros sites, mas começa a levar a história “a sério” quando você recebe um e-mail da assessoria de imprensa da Gradiente com todos os dizeres. Na verdade, com o dizer mais importante da questão. Juro por tudo o que é mais sagrado nessa vida que a primeira linha do release de imprensa foi:

Detentora exclusiva da marca IPHONE no Brasil, a empresa lança o primeiro aparelho da nova linha

Por diversas vezes, o release escreve em CAIXA ALTA e NEGRITO a palavra IPHONE, reforçando que “os direitos exclusivos de produção e comercialização de produtos com a marca IPHONE” eram exclusivos deles no Brasil até 2018. Bom, o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), órgão que o comunicado de imprensa da Gradiente cita como aquele que cedeu os direitos de uso do termo, informa no seu site que a marca IPHONE pertence à Apple desde 2007, e o que a IGB (empresa que hoje controla a marca Gradiente e seus respectivos negócios) detém em seu poder a marca “G Gradiente Iphone”. Para mim, essa é uma grande diferença, mas há quem diga que a Gradiente pode mesmo processar a Apple, tal como dá a entender no mesmo comunicado de imprensa.

Eu particularmente duvido que isso vai acontecer. É mais fácil acontecer o contrário.

Mas esse não é o detalhe mais importante. O fato é que a Gradiente conseguiu o que queria com esse falatório todo. Afinal de contas, estamos nesse momento falando sobre uma empresa que até então estava completamente morta para o mercado, sem grana e sem nenhum grande lançamento expressivo, e que hoje, virou notícia até em sites internacionais especializados, que falam da sua “audaciosa” jogada de marketing.

O que pode acontecer é que, na prática, temos um “xing ling de luxo”. Aliás, conheço smartphones vendidos na DealXtreme com configurações melhores que esse primeiro modelo da Gradiente. Eles devem capitalizar não só com a visibilidade que vão ganhar apenas por mencionar a palavra Iphone na sua família de produtos, mas podem até utilizar toda essa polêmica na propaganda de seus produtos. Afinal de contas, assim como eles usaram o slogam “Meu Primeiro Gradiente”, eles podem muito bem utilizar o “Meu Primeiro IPHONE” para vender os seus smartphones Android.

É uma baita de uma sacanagem, mas é bem provável que isso aconteça.

Outra coisa que precisa ser ressaltado é que a Gradiente ao menos poderia se empenhar mais em oferecer um produto ao menos razoável, com uma configuração mais robusta, para ser algo mais completo no mercado. Mas não. Eles simplesmente se limitaram de ir no vácuo de uma marca mundialmente famosa, lançar um modelo que está abaixo do básico, apenas para atrair visibilidade.

Nessa, até os Hi-Phones chineses fizeram melhor.

Logo, é melhor a gente aproveitar o melhor dessa confusão toda, e dar risadas de tudo o que virá a seguir. Por exemplo, tem site dizendo que a Apple pode processar a Gradiente, caso o Iphone da fabricante brasileira “crie confusão ao consumidor”. Olha, Apple, tem que ser burro como um desentupidor de pia para confundir um iPhone com um Iphone. Bom, tem gente que confunde um Hi-Phone com um iPhone, mas mais pelas semelhanças visuais do produto, e não por causa da referência da marca.

Enfim, é esperar para ver. De qualquer forma, agradeço ao pessoal da Gradiente por fazer o meu dia de hoje mais divertido.