MediaTek pode rir por último (e rir melhor) em cima da Qualcomm em 2022 | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Telefonia » MediaTek pode rir por último (e rir melhor) em cima da Qualcomm em 2022

MediaTek pode rir por último (e rir melhor) em cima da Qualcomm em 2022

Compartilhe

Muitos usuários de tecnologia são preconceituosos com algumas marcas. Um caso clássico disso é com a MediaTek que, para muitos, é sinônimo de processador de baixa qualidade. Algo injusto quando se olha para os chips mais recentes da empresa.

Aliás, quem diz hoje que a MediaTek é uma empresa meia boca só pode falar isso por conta da ignorância pura. Alguns chips da empresa são excelentes para a sua faixa de preço, e muitos se omitem em fazer críticas aos processadores Exynos da Samsung, que já resultaram em enormes dores de cabeça em dispositivos top de linha.

Pois bem… o tempo passou, e parece que o jogo virou. Enquanto a Qualcomm tenta evitar uma queda no segmento top de linha (porque a Apple decidiu mexer nas gavetas dela), a MediaTek ri sozinha e por último, de forma quase surpreendente.

 

 

 

A MediaTek tem a popularidade da linha média como aliada

Todo mundo olhou para o lado dos smartphones tops de linha e premium, e a MediaTek decidiu dar atenção para os esquecidos no churrasco: os telefones de linha média. E, quase sem ninguém perceber, dominou este segmento.

Alguns fabricantes chineses como Xiaomi, Realme, OPPO, Vivo e Huawei decidiram apostar na qualidade dos processadores mais recentes da MediaTek e, com isso, encontraram uma fórmula mágica para fazer dinheiro.

Ao mesmo tempo que esses processadores conseguiam atender de forma perfeita a filosofia de melhor relação custo-benefício, esse hardware aumentava a margem de lucro de todos os envolvidos. Tanto dos próprios fabricantes de smartphones, que conseguiam ganhar mais dinheiro ao investir em um hardware mais barato, como da MediaTek, que obteve mais clientes e, por tabela, mais unidades vendidas.

Até porque, neste momento onde o mundo está vivendo uma crise financeira, as pessoas que ainda pensam em comprar um smartphone hoje muito provavelmente vão investir em telefones de linha média e linha média premium, e não nos modelos mais caros.

Agora, longe de mim dizer que a Qualcomm está em crise. Porém, quando olhamos para o cenário geral (crise financeira, Apple e Samsung investindo em chips próprios, muitos fabricantes apostando na MediaTek etc.), é fácil pensar quem tem gente nessa empresa bem preocupada com o futuro a médio e longo prazos.

 

 

 

Dimensity 8100 e Dimensity 9000: guarde bem esses nomes

O ano de 2022 pode ser marcado pelo surgimento de dois novos protagonistas dentro do universo de processadores: os chips Dimensity 8100 e Dimensity 9000.

O primeiro deve atender aos telefones intermediários, e o segundo deve se fazer presente nos telefones mais potentes. E o grande segredo desses chips é um sistema de fabricação inovador a ponto de poder resultar em uma relação custo-benefício ainda mais favorável para os fabricantes.

E, em testes de benchmarks, o Dimensity 9000 se mostrou mais eficiente que o todo poderoso Snapdragon 8 Gen 1, com um melhor desempenho e menor consumo energético. E custando MENOS que o chip da Qualcomm.

Agora, pense em como os fabricantes de smartphones estão de olho na equação custo-benefício se formando nos novos processadores da MediaTek, e já dá para imaginar executivos da Qualcomm extremamente preocupados com o que pode acontecer em um futuro não muito distante.

O tempo, sempre ele, vai dizer o que vai acontecer.

Let the battle begin!


Compartilhe
@oEduardoMoreira