Compartilhe

O primeiro aparelho de micro-ondas foi lançado no mundo na década de 1940, mas só chegou em massa no Brasil 50 anos depois. Hoje, está em praticamente todos os lares, esquentando o café pela manhã, aquecendo o almoço e fritando a pipoca nas noites de cinema. Ele é utilizado em casa, em restaurantes, lanchonetes e vários outros locais.

Mas tem uma coisa que pouca gente sabe: tem um botão no micro-ondas que jamais deve ser pressionado. E esse botão é o de descongelar alimentos. Em teoria, esse recurso é bem útil, mas jamais deve ser utilizado, ou pelo menos não da forma habitual e com determinados alimentos, como carnes e pescados.

Nem todo mundo sabe disso, e muita gente pode estar cometendo o mesmo erro nesse momento em suas casas. Por isso, acho que vale a pena jogar um pouco de luz e conhecimento sobre o assunto, e deixar uma dica bem interessante para você.

 

 

 

Por que você nunca deve usar o botão de descongelar?

 

Quando ativamos o recurso de descongelar alimentos no micro-ondas, estamos ativando na prática o botão de cozinhar em baixa potência, e a comida começa a cozinhar por fora. E isso é um problema.

Por conta do seu modo de funcionamento, o micro-ondas aquece de fora para dentro, e durante o processo de descongelamento, a capa externa do alimento é a primeira a descongelar, enquanto que as ondas de baixa intensidade continuam tentando descongelar a parte interna do prato.

Além de começar a cozinhar pelo lado de fora, se o alimento é muito espesso ou foi preparado industrialmente, muito provavelmente o seu núcleo vai continuar congelado, deixando o seu cozimento mais complicado e menos homogêneo. Dessa forma, você corre o sério risco de perder o alimento durante o processo.

Nos aspectos sanitários, descongelar alimentos no micro-ondas não representa perigo algum para o ser humano, mas é sempre melhor evitá-lo na medida do possível, especialmente na hora de descongelar carnes e pescados.

O recomendável é realizar sempre um processo de descongelamento lento, com o objetivo principal de salvaguardar as propriedades dos alimentos preservadas, e sempre resfriado dentro da geladeira, e nunca em temperatura ambiente.

A pressa costuma ser inimiga da perfeição e, nesse caso, pode ser a melhor amiga de um desastre gastronômico. Procure usar o micro-ondas para as coisas onde ele costuma se sair melhor: na hora de aquecer o jantar de ontem (que vai virar o seu almoço de hoje) ou fritar aquela pipoca indigesta, cheia de componentes químicos e sem qualquer tipo de sabor agradável.


Compartilhe