O primeiro transplante de pulmão entregue por um drone | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Tecnologia » O primeiro transplante de pulmão entregue por um drone

O primeiro transplante de pulmão entregue por um drone

Compartilhe

Drones não precisam ser utilizados exclusivamente para entregar as suas compras na Amazon. Eles podem ser úteis também para salvar vidas. E é exatamente isso que a Unither Bioelectronics tem em mente quando decide utilizar esses veículos para transportar órgãos humanos para cirurgias.

Para um órgão que está sendo transportado para ser implantado em um outro corpo, cada minuto poupado conta. Quanto mais rápido esse órgão chegar ao paciente, maiores são as chances de sucesso no procedimento, e menos traumática é a recuperação daquele paciente.

Por isso, o uso do drone para transportar pulmões humanos que serão utilizados em transplantes é tão nobre quanto transportar o seu novo smartphone que você comprou com o suado dinheiro economizado ao longo de meses.

 

 

 

Como funciona a iniciativa da Unither Bioelectronics

A Unither Bioelectronics é uma empresa canadense que quer solucionar alguns problemas de logística relacionados com os transportes dos órgãos humanos. Por exemplo, o tráfego pesado nas grandes cidades, dificultando o deslocamento rápido das ambulâncias. Ou a impossibilidade que um helicóptero pouse nas imediações de hospitais mal localizados.

Para tudo isso, temos o drone que pode nos ajudar. A Unither Bioelectronics realizou em setembro de 2021 o primeiro transplante de pulmão através de um drone, algo que é considerado incrível pela complexidade da ação, mas também pela funcionalidade que tal serviço pode oferecer para diversos hospitais ao redor do mundo.

É sempre importante lembrar que transportar um pulmão através de um drone é algo muito mais complexo do que entregar um pacote da Amazon. Para tudo dar certo, é fundamental adotar medidas de segurança extremas, pois o veículo precisa estar preparado para não danificar o item que está transportando.

Para o serviço funcionar como esperado, uma tecnologia completamente nova foi desenvolvida para garantir a manutenção do pulmão, que deve ser entregue nas condições médicas necessárias para que o órgão possa ser implantado no paciente.

O primeiro transplante de pulmão pulmão entregue por um drone ocorreu no Canadá, em um voo que durou apenas alguns minutos entre o Hospital Ocidental de Toronto e o Hospital Geral de Toronto. Uma distância curta, mas que envolve riscos para o pacote. Felizmente, tudo deu certo, e o órgão foi entregue sem incidentes.

Apenas como comparativo: o deslocamento do drone entre os hospitais levou menos tempo que uma ambulância fez no trajeto entre os dois pontos, justamente porque o veículo aéreo não teve que enfrentar um pesado tráfico terrestre.

Essa tecnologia está em desenvolvimento há muito tempo, e a Unither Bioelectronics agora trabalha para criar drones com autonomia de voo para até 320 km (nesse momento, seu drone conta com uma bateria que entrega até 160 km de voo).

Além de entregar órgãos humanos mais rápido, a Unither Bioelectronics tem como objetivo final criar uma rede de drones para transplantes de órgãos, conectando todos os hospitais dos Estados Unidos e Canadá. A ideia aqui é criar um tráfego aéreo de transporte de órgãos para transplantados, em um sistema de delivery via drone exclusivo.

Bom, pelo menos o pulmão chega mais rápido que o carro de emergência. Mas… será que é mais rápido que um entregador do iFood?


Compartilhe