Overgrowth, um game que tem parte do seu código em Open Source | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Games » Overgrowth, um game que tem parte do seu código em Open Source

Overgrowth, um game que tem parte do seu código em Open Source

Compartilhe

O jogo Overgrowth entrou em desenvolvimento em 2008, mas só chegou ao mundo em 2017. E sua demora de lançamento foi compensada com a mudança do seu código para Open Source.

Isso mesmo. O estúdio Wolfire Games agora permite que qualquer pessoa possa estudar o código de Overgrowth e, se quiser, aproveitar as suas linhas para os seus projetos pessoais. Os recursos artísticos, níveis e mapas desenhados são pagos.

Dessa forma, eles ensinam um pouco de programação para as pessoas interessadas e, ao mesmo tempo, não correm o risco de ter o código modificado de forma profunda, impedindo que outro programador venda o jogo como se fosse dele.

 

 

 

Para jogar, e para aprender a programar

Os criadores de Overgrowth começaram a liberar versões preliminares do jogo desde 2011. De lá para cá, o projeto cresceu, e hoje conta com uma enorme comunidade. Agora, além de liberar o código em Open Source, o game passa a custar menos nos Estados Unidos (apenas US$ 19,99).

Lembrando que a liberação do código é parcial, já que níveis e recursos são pagos ou não comercializados. Isso impede que Overgrowth acabe nas mãos de outra pessoa com uma versão alternativa e não autorizada.

O código usa uma licença Apache 2.0, e a parte livre do código vai permitir que qualquer pessoa faça praticamente o que quiser com ele, inclusive aproveitar do motor Phoenix Engine que, por sinal, não é recomendado nem mesmo pela própria Wolfire Games, já que ele não está a altura de gigantes como Unreal Engine ou Unity.

De qualquer forma, a iniciativa permite que qualquer programador possa entender a estrutura de programação de um videogame por completo, permitindo inclusive que modders criem expansões para o jogo.

O código Open Source de Overgrowth está disponível no GitHub e, dessa forma, os programadores podem inclusive melhorar o projeto, com uma efetiva participação da comunidade de entusiastas na expansão do desenvolvimento do jogo.

 

 

 

A união faz o game

Eu não vou pensar que esse pode ser o caso de uma grande desenvolvedora de games incentivar ao coletivo de programadores a fazer de graça o trabalho que normalmente é pago. Se fosse a EA, eu até entenderia que é isso.

O pessoal da Wolfire Games demonstrou desde o começo de Overgrowth um enorme sentimento altruísta, que é bem-vindo e raro nos dias de hoje. E, neste caso em específico, fica claro a vontade de celebrar esse tempo de vida de Overgrowth.

Por isso, os programadores de plantão que desejam comemorar com os caras e manjam do assunto podem se aproveitar dessas novidades.


Compartilhe
@oEduardoMoreira