Início » Telefonia » Por que o smartphone com flash na câmera frontal é uma espécie em extinção?

Por que o smartphone com flash na câmera frontal é uma espécie em extinção?

Compartilhe

Você já percebeu que é muito raro encontrar um smarpthone com flash frontal para a câmera? Eu mesmo não me lembro quando foi a última vez que encontrei um telefone com essa característica que, em teoria, seria benéfica principalmente neste tempo em que vivemos a era das selfies.

Não é por acaso que o flash da câmera frontal está em extinção nos smartphones e, em um futuro muito próximo, tem tudo para ser completamente eliminado do nosso ecossistema informático.

Por que isso está acontecendo?

 

 

 

Quase ninguém sente falta dele

As poucas marcas que ainda apostavam no flash para a câmera frontal eram Nokia, Vivo e Motorola e, ainda assim, nunca levavam esse recurso nos modelos top de linha ou mais completos.

Quando um telefone tinha flash para a câmera frontal, era em um dispositivo de linha média. E, sinceramente, eu não me lembro de ver um grande movimento dos usuários reclamando que a câmera frontal não contava com um flash.

A grande maioria dos fabricantes de smartphones decidiram apostar em propostas mais simples e, teoricamente, mais eficientes, como iluminar a tela do telefone com uma luz branca na hora de registrar a foto.

Na prática, ter um flash dedicado para a câmera frontal poderia ser melhor para as selfies noturnas, mas modificar um projeto de design só para colocar um elemento que não resolveria o problema de forma plena (já que melhorar não é o mesmo que resolver) não justificaria o esforço dos fabricantes.

E como jamais aconteceu uma mobilização nacional ou global implorando pela volta do flash na câmera frontal, ficamos no momento em que nos encontramos hoje, com os usuários aceitando as soluções alternativas que foram adotadas pelos fabricantes.

 

 

 

Nenhum fabricante aposta em solução de nicho

Assim como acontece com os mais diferentes segmentos de mercado, o mundo da tecnologia se tornou relutante em apostar nas soluções que só vão atender a um nicho específico de usuários. E é exatamente isso o que acontece com o flash na câmera frontal.

A maioria das pessoas optaram por smartphones com o design mais limpo possível, e isso significa telefones sem bordas de tela. A decisão resulta em dispositivos com um espaço cada vez menor para outros elementos.

A prova disso é que a câmera do telefone foi para a tela, já que não dava mais para encaixar em uma borda. Logo, se não tem espaço para o sensor de fotografia, que dirá para o flash de câmera?

Por fim, ou você usa a câmera traseira com flash para tirar selfies muito melhores em ambientes pouco iluminados, ou se contenta com o resultado atual e vai beber no lugar de ficar reclamando na balada que aquela foto deixou você gorda e cheia de ruídos.


Compartilhe