tim-nova-marca

“Evoluir é fazer diferente”. Eu concordo plenamente com essa frase.

A TIM apresentou uma nova marca, com um objetivo bem claro: deixar de ser odiada. Não sou eu que estou falando isso, mas sim Rodrigo Abreu, CEO da operadora no Brasil. E se é ele que está falando isso, quem sou eu para discordar? E olha que tem gente que defende a TIM com unhas e dentes, por conta dos generosos planos que a operadora possui. Mas… isso é o suficiente?

Quero dizer… mudar a marca é o bastante? A TIM não precisa fazer mais nada? Mudar a marca, criar um slogan que beira o óbvio e oferecer uma nova filosofia (teórica) é o que a operadora precisa para avançar posições no mercado?

Particularmente, acho que não.

A imagem da TIM é bem queimada em várias regiões do Brasil. Em São Paulo, a sua internet móvel fica atrás das concorrentes, e a sua banda larga fixa, a Live TIM (em breve, TIM Live), alterna entre dias de constância e dias consecutivos de indisponibilidade. Não sou eu que falo, são meus colegas blogueiros que utilizam o serviço. Eu mesmo tentei utilizar a internet móvel da operadora por alguns dias, e qualifiquei aquilo como “uma grande porcaria”, que não contava com conectividade 4G em vários pontos da capital paulista.

Aqui no Paraná, eu só uso a TIM porque sou obrigado, já que um monte de gente tem por conta dos planos de telefonia com benefícios de chamadas “ilimitadas” (sim, agora temos que colocar essa palavra com aspas) e, mesmo assim, só uso a operadora na parte de telefonia mesmo. Na internet, continuo utilizando a minha linha da Vivo que estava ativa em Araçatuba (SP), não só por conta da comunicação com meus parentes, mas porque o meu número do WhatsApp está ativo nele há 3 anos pelo menos, e não pretendo trocá-lo. E porque a Vivo funciona razoavelmente bem aqui.

A TIM sofre do mal de ter uma grande base de clientes, mas entregando um serviço considerado meia boca. Se tem gente contente com isso, OK. Mas respeitem os descontentes. O slogan “Evoluir é fazer diferente” mostra claramente que até a operadora está ciente dos seus erros, e que está proposta a mudar para melhorar o seu desempenho entre os descontentes. Ao menos propõe investir no marketing positivo, que por sua vez pode vir através de mudanças nas suas propostas, valores e objetivos, que podem atrair clientes desertores e outros usuários que até se interessam pelas suas propostas, mas barram na má qualidade dos serviços entregues.

Pode ser que a TIM funcione bem na sua cidade. Acontece. Mas é difícil encontrar alguém realmente satisfeito com a operadora. E por conta dos blogs eu converso com muita gente. E é muita gente descontente com a operadora.

Esperamos mesmo que a TIM faça diferente daqui para frente. Que a operadora aprenda com os erros. Que mude para evoluir. Até mesmo para oferecer uma melhor competição no mercado de telefonia e internet móvel no Brasil. Não pode ir apenas nos números. Tem que ir além no conjunto da obra.

Fazer diferente para evoluir, TIM.