Início » Hack da Vida » Uma IA que dedura políticos “distraídos” no celular

Uma IA que dedura políticos “distraídos” no celular

Compartilhe

Se você sempre achou que os nossos políticos eram um bando de inúteis que não faziam nada e só ficavam gastando nosso tempo e dinheiro olhando nudes no celular, saiba agora que você não está muito longe de ter razão.

O desenvolvedor belga Dries Depoorter criou uma Inteligência Artificial que monitora o comportamento dos políticos daquele país. Através da tecnologia de reconhecimento facial, o software calcula quanto tempo cada um deles gastou olhando para a tela do smartphone.

E a IA faz o serviço completo, denunciando o infrator nas redes sociais.

 

 

 

Essa IA precisa vir para o Brasil com urgência

Todo mundo pratica o nobre esporte da procrastinação, principalmente quando tem um celular na mão. Ou vai me dizer que você está pesquisando sobre a cura do câncer quando demora 45 minutos no banheiro?

Nada de errado sobre isso. Todo mundo joga Candy Crush ou Fortnite enquanto pensa na vida sentado no vaso sanitário. Porém, quando é um deputado ou senador gastando o dinheiro da nação para marcar encontro com as secretárias em motel, isso deveria ser crime passível de pagamento de multa em dinheiro.

Pois bem, a IA em questão foi desenvolvida em Python, e detecta tanto os rostos quanto os telefones dos políticos focalizados. Dessa forma, ela pode medir o tempo em que eles passam “se distraindo” no celular quando deveriam estar trabalhando para a nação.

 

 

Quando o software flagra o político na procrastinação, ele grava um vídeo que é compartilhado nas redes sociais como Twitter e Instagram, denunciando o vagabundo. De quebra, nos dias que não tem sessão parlamentar, o software fica rastreando vídeos antigos para fazer o seu trabalho.

Este é o projeto mais popular de Depoorter, e com uma boa margem de sobra. Tudo bem, ele é polêmico pela própria natureza, e pode gerar alguns processos em suas costas. Mas que esse software precisa vir para o Brasil com a máxima urgência, não resta a menor dúvida.

Afinal de contas, os nossos nobres vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores precisam ter uma espécie de “estímulo psicológico” para trabalhar em projetos que realmente beneficiam a população. E não somente que beneficia a população que faz parte da parcela mais rica da população.

Eu sei… é um sonho absurdo o que eu escrevi no parágrafo anterior. Mas quem sabe o constrangimento em ser flagrado pelo eleitor como um completo desocupado pode fazer com que esse comportamento irresponsável mude com o passar do tempo.

Não custa nada tentar. Certo?


Compartilhe