apple-vs-samsung

Nesse final de semana, eu presenciei – mais uma vez – como funcionam as editorias de alguns sites/blogs de tecnologia, que deixam de lado a função de informar corretamente o leitor, e decidem assumir a linha editorial pensando nos fanboys. Que fique claro que não estou defendendo empresa A ou B, até porque não tenho rabo preso com ninguém. Mas que chega a ser nojento ver blogs descaradamente ocultando informações para destacar apenas um lado da questão.

Resumindo a notícia: o tribunal da Califórnia decidiu nesse final de semana sobre o caso movido pela Apple contra a Samsung, envolvendo a violação de cinco patentes de software dos seus smartphones. A sentença prevê que a Samsung foi condenada a pagar quase US$ 120 milhões pela violação de todas as patentes (esse valor pode mudar, pois algumas revisões serão feitas pelo tribunal local). Porém…

Boa parte dos sites de tecnologia – alguns deles se dizendo “sérios”, já outros “especializados” na Apple, ou seja, “imparcialidade pra quê, né?” – simplesmente “se esqueceram” #ironic de citar que o mesmo tribunal norte-americano também considerou a Apple culpada pela violação de duas patentes pertencentes à Samsung, e do valor que será pago pelos coreanos, serão descontados aproximadamente US$ 158 mil, equivalentes às duas patentes em questão.

Ok, eu sei que os valores são bem discrepantes, e que a pancada na Samsung foi maior. Porém, a questão nem é essa.

Ao ocultar tal informação, tais sites e blogs simplesmente colocam para debaixo do tapete a tal questão moral que a Apple tanto prega, onde eles insistem de forma hipócrita que “só a Apple inova, só a Apple é criativa, só a Apple é revolucionária, e só a Apple não copia ninguém”. Com o reconhecimento legal que a Apple também infringiu patentes de sua principal concorrente no universo mobile, cai por terra de uma vez por todas que a empresa de Tim Cook é a “virgem imaculada” do mundo mobile, onde muitas vezes ela faz o papel de vítima – e na maioria das vezes, sites especializados na empresa e seus fãs compram tal teoria. De forma estúpida, é claro.

Será que essa é a melhor forma de transmitir a notícia? Fazer com que de forma tendenciosa o leitor entenda que só uma empresa é a que viola patentes?

E não falo apenas de sites que focam sua linha editorial na Apple. Grandes portais de notícias, que contam com uma editoria de tecnologia tendenciosa – posso falar isso por conhecimento de causa, pois passei por uma delas – repetiu a mesma estratégia: colocou a Samsung como violadora das patentes, mas não cita uma vírgula que, na mesma decisão, o tribunal considerou a Apple também como culpada na ação movida pela Samsung.

O pior é ver gente no Facebook questionando o Associated Press, que colocou a decisão NA ÍNTEGRA, e dando crédito para os sites locais, que usaram da prática que considero condenável.

Então, fica a dica: cuidado com o que você lê, e principalmente, de onde você está lendo uma determinada notícia. A prática da distorção da informação para enaltecer uma marca e prejudicar outra é algo que considero nojento. A distorção da informação é uma das práticas mais deploráveis que podemos encontrar no jornalismo. Entendo que aqueles que se dedicam ao ofício de transmitir a informação ao próximo tem como obrigação fazer isso de forma limpa e consciente.

Escrever para fanboys é algo muito fácil. Passar a informação correta é para poucos.

Apenas para ilustrar meu ponto: clique aqui e veja o post que fiz no TargetHD sobre o assunto em questão, e tire as suas conclusões.